segunda-feira, 2 de março de 2009

Notícias sobre a Reforma: prefixos RE e CO


Saiu na FSP 14/01/2009


ABL lança dicionário e põe fim a dúvidas do Acordo. Nova edição traz grafia definitiva de palavras, diz a Academia Brasileira de Letras. As principais indefinições que o dicionário esclarece são em relação ao uso do hífen, em prefixos não especificados no Acordo.


"Re-editar" ou "reeditar"? "Coabitar" ou "co-habitar"? As principais dúvidas que o texto do Acordo Ortográfico, em vigor desde o dia 1º, havia deixado foram esclarecidas pela publicação da segunda edição do dicionário da ABL (Academia Brasileira de Letras), que começou a ser distribuído ontem nas livrarias.


O "Dicionário Escolar da Língua Portuguesa", editado pela Companhia Editora Nacional, tem 1.311 páginas e cerca de 33 mil verbetes. "O que está no dicionário vai ser adotado pelo VOLP ["Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa"], diz Evanildo Bechara, membro da ABL e da comissão de língua portuguesa do Ministério da Educação que trata do Acordo.


VOLP é o documento que registra a grafia oficial das palavras. A nova versão, com cerca de 370 mil palavras da língua portuguesa, será publicada até o início de março.


Hífen. As principais dúvidas que o dicionário esclarece são em relação ao uso do hífen. De acordo com Bechara, o Acordo não tratava dos prefixos "re", "pre" e "pro" por "esquecimento".


Palavras com esses prefixos, segundo o novo dicionário, devem ser grafadas sem hífen, como "reeditar" e "preencher" - e não "re-editar" e "pre-encher", como interpretaram alguns estudiosos no Acordo.


O Acordo diz que duas vogais têm que estar separadas por hífen, mas se esqueceu do [prefixo] "re". Teria que estar separado, mas isso se choca com a tradição lexicográfica, tanto em dicionários brasileiros como em portugueses", diz Bechara. "Se o Acordo quisesse contrariar essa tradição, teria sido explícito, o que não ocorreu. Logo, a conclusão é a de que houve um esquecimento."A tradição é um dos princípios do Acordo, segundo a ABL. O quarto e último princípio geral afirma que o Acordo deve: "Preservar a tradição ortográfica refletida nos formulários e vocabulários oficiais anteriores, quando das omissões do texto do Acordo". "O texto do Acordo é curto, não ia abranger as mais de 300 mil palavras que há no VOLP", afirma Bechara.


Outra dúvida que o dicionário esclarece é a grafia da palavra "abrupto". O dicionário diz: ""Ab-rupto" é preferível a 'abrupto' - ou seja, as duas formas são consideradas corretas, mas o ideal é usar a hifenizada. Para Bechara, 'ab-rupto' não deve causar estranhamento". As escolas devem priorizar a forma com hífen, disse.




Imagem de Pablo Picasso (retirada da internet).

Um comentário:

  1. Obrigado pela explicação, eu estava escrevendo um texto e me surgiu tal dúvida.

    A propósito: Belos seios Patrícia! Parabéns!!

    ResponderExcluir